Família de Phillippe Coutinho garante resistir a assédio de europeus

31/12/2007 às 03h51 - CATEGORIAS DE BASE

Torcedor vascaíno, guarde este nome: Phillippe Coutinho. Ou melhor, Phillippinho, como é conhecido em São Januário. Com 15 anos, ele seria apenas mais uma promessa do clube não fosse a sua fama, que já ultrapassa os limites do país. Destaque do Brasil na conquista, este ano, do Campeonato Sul-Americano Sub-15, o vascaíno encantou olheiros de clubes europeus e entrou na mira do Real Madrid (ESP), que espera repetir a bem-sucedida estratégia do Barcelona e encontrar o novo Messi, que é como ele vem sendo chamado na Espanha.

O assédio do mercado europeu é o maior inimigo do Vasco. O risco de perdê-lo de graça é real. Afinal, apenas a partir do dia 12 de junho, quando completará 16 anos, o apoiador poderia assinar o contrato profissional. A prioridade é do Vasco, garante o pai da promessa, José Carlos Coutinho. Porém, nenhum dirigente o procurou até o momento para conversar.

- Sabemos que há interesse de clubes de fora, mas nunca chegou uma proposta oficial. E se chegar, o Vasco é que deverá ser procurado. Aliás, o Vasco tem a prioridade e quero que ele se profissionalize pelo clube - diz o pai do craque.

No entanto, além do Real, clubes como Manchester United (ING) e Benfica (POR), que já procuraram a diretoria interina do Vasco, estão atentos. Cristiano Coutinho, irmão da promessa, não descarta possibilidade alguma:

- Queremos que tudo aconteça de maneira natural. Mas se houver proposta concreta do exterior, nós a estudaremos.

Kaká é a inspiração

Apesar das comparações com o argentino Messi, Phillipe Coutinho prefere se espelhar em Kaká, eleito recentemente pela Fifa o melhor jogador do mundo. - Estou muito longe de chegar no nível do Messi, mas é uma honra ser comparado com ele. Na verdade, o meu verdadeiro ídolo é Kaká, que joga mesma posição que eu - explicou.

Fonte: Lance