Especulações e Saídas clique aqui

Gols de Romário X Gols de Pelé, contra times sem tradição

13/01/2006 às 10h22 - FUTEBOL

Dos 944 gols de Romário na carreira, 73 foram em cima de times sem tanta tradição. Perto de completar 40 anos, o Baixinho sonha chegar ao milésimo gol.
Os dois primeiros gols do Baixinho como profissional foram justamente em um amistoso. Contra o então time amador da Associação Atlética Nova Venécia, do Espírito Santos. Pelo Vasco, o Baixinho ainda fez gols em amistosos contra a Seleção de São Matheus (4), a Seleção de Coaracy (3), Itapetinga-BA (2), Caratinga-MG (1), Seleção de Valença (1), Seleção do Amazonas (1), Motorista-ES (3), Trem-AP (1), Jeanne d\"Arc (2), de Senegal, Seleção Maranhense (2), Seleção de Frei Paulo-SE (2) e Seleção Petrópolis (3).

No PSV, Romário fez três amistosos contra times da terceira divisão do futebol holandês. Goleadas de 15 a 0 sobre o Rodan (cinco gols), 11 a 0 sobre o Maarheeze (três gols) e 9 a 0 sobre o Gel (quatro gols). No Flamengo, o Baixinho marcou contra o Combinado CRB-CSA (1), Gua An (1), da China, South China (1), de Hong Kong, e seleção de Brasília (1)

Pela seleção brasileira, o atacante fez dez gols em jogos contra a Seleção Alagoana, o América-MEX e a seleção de Honduras. Romário ainda balançou a rede em jogos festivos como a despedida de Luisinho (4) e a despedida de Aldair (2). Mais três gols no duelo entre a Seleção das Américas e a Seleção do Resto do Mundo, em 1995. O Baixinho ainda fez dois gols em uma partida comemorativa do PSV, em 2002, e outro no duelo entre Cariocas e Paulistas, em 2004. Já pela seleção do tetra foram cinco gols em dois amistosos contra o México-94.

E na corrida pelo milésimo gol, Romário já marcou mais três gols. Um no amistoso contra o Duque de Caxias e outros dois contra o Rio Branco-RJ.

Pelé marcou 1.281 gols na carreira. Deles, o Rei do Futebol conta 11 defendendo a Seleção da Sexta Guarda Costeira (1959), quatro gols pela Seleção das Forças Armadas, seis gols por um combinado Vasco/Santos, três gols pelo Sindicado de Atletas de São Paulo, um gol pela Seleção do Sudeste e outro gol pela Seleção de Amigos do Garrincha.
Além disso, foram muitos gols contra \"peixe morto\" nos amistosos do Santos no Brasil. Foram quatro gols em cima do Lavras-MG, um no Nitro Química, outro no Itaú Sport. O time também enfrentava combinados de cidades e estados como Sergipe (dois gols), Ilhéus (1), Brasília (1), Pernambuco (1), Alagoas (2) e Amazonas (1).

Melhor time do planeta na época, o Santos cansava de sair mundo afora para realizar amistosos internacionais. E pegava cada baba como o Abidjan (2 gols), da Costa do Marfim, o Alianza (1), de El Salvador, o Herediano (1), de Costa Rica, Point Noire (1), de Congo, o Transvaal (1), de Suriname, o Caroline Hill (3), de Hong Kong, e o Catanzaro (2), da Itália. Em 1968, foram mais nove gols durante uma excursão aos EUA.

Além disso, o Santos enfrenta seleções sem qualquer tradição no futebol como Congo (oito gols em quatro jogos em 1967 e 1969), Gabão (um gol), Hong Kong (oito gols em quatro jogos em 1970), Martirica (1), Bangkok (2), Ryad (2), Bahrain (2). Isso sem falar no amistoso entre o Cosmos e o NASL All Stars, que marcou a despedida de Beckenbauer, em que Pelé fez um gol.

Fonte: GloboEsporte.com