Especulações e Saídas clique aqui

Há 58 anos, Vasco conquistava o Campeonato Sul-Americano de Clubes

14/03/2006 às 02h00 - CLUBE

14 de março é um dia dos mais especiais para o torcedor vascaíno. Isto porque há exatos 58 anos o Vasco conquistava o 1º Campeonato Sul-Americano de Clubes Campeões, em Santiago, no Chile. O Vasco escrevia seu nome na história ao ser o primeiro clube brasileiro a conquistar um título fora do país.

O torneio, que teve apenas uma edição, foi organizado pelo Colo Colo, do Chile, e reuniu as seguintes equipes: Vasco da Gama (Brasil), River Plate (Argentina), Nacional (Uruguai), Emelec (Equador), Municipal (Peru), Litoral (Bolívia), além do próprio Colo Colo.

Por ter sido campeão carioca invicto em 1947 e, também, por contar com a melhor equipe do país - o \"Expresso da Vitória\" -, o Vasco acabou sendo indicado para representar o futebol brasileiro.

Durante a competição, o Vasco enfrentou várias dificuldades, como a contusão do artilheiro Ademir Menezes, o \"Queixada\", logo na segunda partida, contra o Nacional. Ademir acabou fraturando o pé e não pôde participar dos demais jogos. As arbitragens também dificultaram a conquista do Vasco, pois havia um desejo velado dos organizadores de que a final fosse entre os donos da casa e o River Plate, então chamado de \"La Maquina\".

Assim mesmo, o Vasco, dirigido pelo técnico Flávio Costa, não tomou conhecimento dos adversários e realizou uma campanha brilhante. Em seis jogos, foram quatro vitórias e dois empates. O Vasco também teve o artilheiro da competição: Friaça, que marcou quatro gols.

Na decisão contra o River Plate, que contava com jogadores como Di Stéfano, o Vasco conquistaria o título com um simples empate. Durante a partida, no estádio Nacional de Santiago, mais uma vez a arbitragem procurou prejudicar o Vasco. No primeiro tempo, o árbitro uruguaio Nobel Valentim marcou um pênalti contra os brasileiros, mas o goleiro Barbosa defendeu a cobrança de Labruña. Na etapa complementar, o Vasco teve anulado um gol marcado por Chico. Pouco antes do fim do jogo, o próprio Chico e o argentino Mendez se envolveram numa briga e acabaram expulsos.

Após o tempo regulamentar, ainda houve uma prorrogação de cinco minutos, mas o poderoso River Plate, base da seleção argentina, não foi páreo para os heróis vascaínos.

Após 40 dias longe do Rio de Janeiro, a delegação vascaína foi recebida com uma festa apoteótica que parou a então capital do país.

O Vasco trouxe do Chile os trófeus de todas as partidas, inclusive das que terminaram empatadas, e mais o troféu de goleiro menos vazado. Dentre essas relíquias, duas peças se destacam: o monumental bronze, oferecido pelo governo chileno ao clube campeão, também chamado de \"condor\" e o troféu \"Presidente Peron\", que traz o autógrafo do presidente argentino e foi disputado na partida contra o River Plate.

Em função daquela histórica conquista, o Vasco pleiteou à Conmebol participação na Supercopa dos Campeões da Libertadores, competição criada pela entidade em 1988, reunindo somente os campeões da Taça Libertadores. A Conmebol reconheceu a importância do título e o Vasco participou da Supercopa em 1997, ano em que o evento foi realizada pela última vez.


Confira a campanha do Vasco na competição:

14/02/1948 - Vasco 2 x 1 Litoral (Bolívia)
Gols do Vasco: Lelé (2)


18/02/1948 - Vasco 4 x 1 Nacional (Uruguai)
Gols do Vasco: Ademir (1), Maneca (1), Danilo (1) e Friaça (1)


25/02/1948 - Vasco 4 x 0 Municipal (Peru)
Gols do Vasco: Friaça (2), Lelé (1) e Ismael (1)


29/02/1948 - Vasco 1 x 0 Emelec (Equador)
Gols do Vasco: Ismael (1)

07/03/1948 - Vasco 1 x 1 Colo Colo (Chile)
Gols do Vasco: Friaça (1)

14/03/1948 - Vasco 0 x 0 River Plate (Argentina)



Os heróis do título:
Barbosa (goleiro menos vazado), Barqueta, Augusto, Wilson, Chico, Rafanelli, Friaça (artilheiro), Lelé, Jorge, Moacir, Ademir, Eli, Danilo, Ismael, Djalma, Maneca, Dimas, Nestor.

Técnico: Flávio Costa

Chefe da delegação: Diogo Rangel

Delegado da presidência: Major Otávio Menezes Póvoa (vice-presidente do clube)



Classificação final:
1. Vasco da Gama (Brasil): 6 jogos (4 vitórias e 2 empates)
2. River Plate (Argentina): 6 jogos (4 vitórias, 1 empate e 1 derrota)
3. Nacional (Uruguai): 6 jogos (4 vitórias e 2 derrotas)
4. Municipal (Peru): 6 jogos (3 vitórias e 3 derrotas)
5. Colo Colo (Chile): 6 jogos (2 vitórias, 2 empates e 2 derrotas)
6. Litoral (Bolívia): 6 jogos (1 vitória e 5 derrotas)
7. Emelec (Equador): 6 jogos (1 empate e 5 derrotas)



Os números do Vasco:
6 jogos
4 vitórias
2 empates
10 pontos
12 gols pró
3 gols contra
Artilheiro: Friaça - 4 gols
Goleiro menos vazado: Barbosa - 3 gols

Fonte: SUPERVASCO.COM