Jogadores gravam canto de guerra para levantar a poeira, o moral e o astral

29/04/2009 às 23h21 - CLUBE

Os jogadores do Vasco abriram a boca e devolveram aos torcedores toda a prova de confiança que a galera está depositando na equipe. Ontem, comandados pelo capitão Carlos Alberto, o time se reuniu em campo e filmou uma mensagem de amor, cantando um dos principais gritos de guerra da torcida, criado pelos Guerreiros do Almirante.

O goleiro Thiago se emocionou. “A torcida há muito se transformou no nosso 12º jogador. Estamos devolvendo todo o carinho e a confiança que eles depositaram no nosso grupo”, disse o camisa 1.

Entusiasmados, os jogadores não desafinaram e formaram um coro que emocionou os torcedores presentes.

“Sempre ao seu lado até o fim, minha vida é você e a torcida do Vascão sempre tão linda; Nós viemos para apoiar, juntos vamos ganhar, na alegria e na dor o sentimento não para, pois todo vascaíno tem amor infinito e cantarei de coração, Vasco da Gama”.

A gravação do hino cantado pelos jogadores, que tem como referência a música Ana Júlia, do grupo Los Hermanos, foi a grande sensação do treino do Vasco, ontem na Colina, onde Dorival Júnior ratificou a titularidade de Alex Teixeira no lugar de Carlos Alberto, contundido.

Amanhã o time enfrentará o Icasa-CE, em São Januário. Apesar de quatro desfalques, o lateral Ramon aposta em um resultado convincente: “É claro que um time que perde o Carlos Alberto, o Fernando, o Nílton e o Jéferson sente o baque. Afinal, são quatro jogadores de alto nível. Porém, o nosso grupo é forte e tem todas as condições de vencer o jogo”.

Para ele, os desfalques não conseguirão diminuir o alto-astral do elenco. “Estamos prontos para chegar à final da Copa do Brasil. Quem entrar dará conta do recado e irá substituir à altura o titular”, assegurou Ramon, confiante.
Totalmente adaptado ao Vasco, o lateral luta para permanecer no clube após o término do seu empréstimo, no fim do ano. Com os direitos presos ao Internacional, Ramon quer renovar por mais três anos com o clube da Colina:

“Aqui estou em casa. Encontrei uma família. Já estive no Beira-Rio, conversei com os dirigentes e quero ficar no Vasco”

Fonte: O Dia