Especulações e Saídas clique aqui

Rio retrocede para reciclar arbitragem

13/01/2006 às 17h15 - FUTEBOL

Dar um passo para trás para tentar dois na frente. Este é o atual momento da arbitragem no Rio de Janeiro, agora comandada por Carlos Elias Pimentel, novo diretor da Comissão de Árbitros do estado.

Nomeado para o cargo por Eduardo Viana, que foi reempossado na presidência da federação do Rio de Janeiro em outubro do ano passado, Pimentel - ex-árbitro - entrou na vaga de Cláudio Cerdeira, desafeto público do Caixa D\"água.

O fato de ser \"apadrinhado\" pelo presidente pode ter sido um retrocesso na arbitragem do Rio, que com Cerdeira buscava novos ares. Entretanto, rejeitando o rótulo de \"afilhado\" de Viana, Pimentel promete uma nova era na arbitragem carioca.

\"Quando eu e minha equipe assumimos a comissão, traçamos vários planos e metas, dentre as quais relatórios completos sobre a atuação de cada árbitro após cada jogo. Mas a meta principal é fazer surgir três novos árbitros em condições de apitar a Primeira Divisão\", disse ao Pelé.Net Carlos Elias Pimentel.

Para isso, o diretor prometeu reciclar a arbitragem do Rio de Janeiro, muito criticada por ter sempre os mesmos nomes durante anos no apito. Desde quarta-feira os árbitros participam de uma pré-temporada em São João do Meriti-RJ e, segundo Pimentel, os dias têm sido bastante proveitosos.

\"Pela manhã eles fazem trabalho físico e à tarde assistem a palestras. Eles têm que ter um condicionamento físico definido e satisfatório na primeira rodada\", disse o diretor.

Contudo, a escala para essa primeira rodada do Estadual já gera polêmica. Para Cláudio Vinicius Cerdeira, ex-diretor da comissão de arbitragem do Rio de Janeiro, alguns nomes que aparecem não corroboram com a reciclagem que Pimentel prega implantar.

\"Não vou citar nomes, mas nessa primeira rodada eu fiquei preocupado com algumas escalas. O que eu temo é que os árbitros não tenham independência suficiente\", disse Cerdeira, que, em 1994, quando era árbitro, se insurgiu contra o comando de Eduardo Viana e na época acusou a federação de tentar manipular os juízes.

\"A partir dali ele [Viana] viu que eu não me deixo levar por pressão, e isso não interessa a ele. Tanto que o ato 001 dele foi me tirar da comissão, quando retornou à presidência. Ele sabe que éramos pessoas que não iam se incomodar com pressão e ele não ia conseguir fazer o que quer\", disse Cerdeira, que preferiu não criticar abertamente Pimentel:

\"A comissão tem que ter em mente que não pode ser pressionada, senão nada vai mudar. Se a arbitragem for política não se faz trabalho nenhum. Espero que essa nova comissão priorize a parte técnica e física dos árbitros e trabalhe aqueles de potencial\".

Entretanto, as palavras de Cerdeira foram prontamente rebatidas por Pimentel, que garantiu não existir pressão para se escalar árbitros por parte da federação do Rio de Janeiro.

\"Isso deve ser coisa da cabeça dele. A imprensa toda está elogiando o nosso trabalho, ele deve estar com algum problema. Isso não existe, é folclore\", assegurou Pimentel, que afirmou não estar aproveitando herança alguma de Cerdeira à frente da comissão:

\"Não conheci o trabalho dele. Me apresentei e agora estou colocando em prática o que planejamos. Acho que falta reciclagem em todos os aspectos e vou buscar fazer isso\".

Fonte: Pelé.Net