Sem chances com Valentim, Henríquez reencontra técnico: "Relação normal"

08/10/2019 às 16h12 - CLUBE

Titular absoluto do Vasco no Campeonato Brasileiro, Oswaldo Henríquez viveu situação bem diferente no início do ano. Durante o Campeonato Carioca, foi relacionado pouquíssimas vezes pelo técnico Alberto Valentim, a quem irá reencontrar nesta quinta-feira, no duelo com o Avaí.

Questionado sobre o período, Henríquez foi lacônico e evitou se aprofundar nos motivos pelos quais não foi utilizado.

- Não dei muita importância às explicações (por não jogar). O relacionamento se limitou à questão profissional. É uma pessoa que tem ideia de jogo interessante, ideias inovadoras. Acho que o treinador tem a liberdade de escolher quem joga ou não. Sempre me coloquei à disposição do grupo - disse o zagueiro.

Foto: Felipe SchmidtOswaldo Henriquez, zagueiro do Vasco
Oswaldo Henriquez, zagueiro do Vasco

Para o jogo contra o Avaí, Henríquez espera que o time possa ter mais calma na hora de fazer gols. O Vasco é o sexto time com mais finalizações, mas tem apenas o 15º melhor ataque do Brasileiro.

- O campeonato representa muito para nós. Isso faz com que a gente sinta um pouco essa pressão na hora em que temos oportunidades. Quando temos, precisamos aproveitar. Quando as coisas não saem como a gente quer, geram um pouco de pressão e ansiedade.

Confira outros tópicos da coletiva de Henríquez:

Pênaltis perdidos

- É uma coisa meio esquisita, que você não vê muito. Acho que é realmente isso, um pouco de pressão e nervosismo. Temos que transmitir tranquilidade, porque temos bons batedores, mas você precisa muito da cabeça boa. É o que temos que corrigir, porque as oportunidades vão continuar acontecendo e vamos precisar acertar. São momentos que fazem diferença.

Conversas com o compatriota Guarín

- A gente se falou um pouco. Estou tentando fazer a adaptação mais rápida possível para ele. O tempo é curto e precisamos muito da ajuda dele nessa reta final. Estou ajudando ele a entender o funcinoamento do Brasileiro, que é corrido. Ele está fazendo ótimo trabalho de condicionamento. Esperamos que ele consiga e que possa ajudar a fazer uma reta final.

Bons resultados fora de casa

- Dá muita confiança. É importante romper esses jejuns. Já tivemos outras partidas em que poderíamos trazer os três pontos. Sempre que jogamos fora, tentamos propor jogo, jogar de igual para igual. Infelizmente nas partias em casa nao temos conseguido obter a sequência. Mas nossa mentalidade vai ser sempre jogar igual dentro e fora de casa.

Fonte: Globoesporte.com